18 mitos e verdades sobre bicicleta

mitos e verdades sobre bicicleta

Argumentos mostram que a bicicleta faz bem para as pessoas e para as cidades também

Se você é um simpatizante da bicicleta, é bem provável que já tenha ouvido alguém dizer que os ciclistas atrapalham o trânsito. Ou então que é utópico se locomover de bike pelas cidades. Ou que pessoas a partir de certa idade não deveriam andar de bicicleta. Enfim, a lista muitas vezes tem argumentos um tanto absurdos.

Esta lista de mitos e verdades sobre a bicicleta é adaptada do site português Cycling Fallacies, que traz 30 mitos e verdades sobre o uso da bicicleta. Reunimos abaixo os principais deles, alguns adaptados para as condições de tráfego brasileiras, para que você possa defender o seu direito de ir e vir de bicicleta sempre com bons argumentos!

mitos e verdades sobre bicicleta

Mitos e Verdades sobre Bicicleta

1) A bicicleta causa congestionamento

Conduzir atrás de alguém que anda de bicicleta reduz a velocidade de quem segue de carro. Mas é pouco provável que atrase a viagem no seu todo. O engarrafamento das ruas é causado pelo tráfego motorizado, e em particular pelas filas nos cruzamentos. Se o problema fosse realmente as bicicletas, jamais veríamos engarrafamentos nas grandes rodovias, por exemplo.

2) As ciclovias não são seguras

A quase totalidade dos acidentes envolvendo ciclistas acontece em cruzamentos. Portanto a maior questão está em resolver a segurança destes pontos, visto que não existe ciclovia sem algum tipo de cruzamento.

3) As ciclovias são muito lentas

De modo geral as ciclovias tornam o deslocamento com a bicicleta mais rápido. Quando bem planejadas, as ciclovias tornam a utilização da bicicleta mais confortável, reduzem paradas e conflitos com pessoas que utilizam outros meios de transporte.

4) Andar de bicicleta sem chegar ao destino todo suado é impossível

As pessoas podem andar de bicicleta na velocidade que bem desejarem. Como nas ciclovias não existe congestionamento, e por isso menos paradas, isso faz com que se percorra o trajeto mais rápido de bicicleta, independente da velocidade. E também não é verdade que se transpira menos a pé quando se anda pelo mesmo período de tempo.

5) Andar de bicicleta não é seguro

O perigo principal é proveniente dos veículos motorizados. Em particular daqueles que se deslocam a velocidades mais elevadas. Por isso sempre procure evitar as vias de tráfego mais rápido e onde circulam veículos mais pesados.

6) Andar de bicicleta prejudica quem anda a pé

Sem dúvida que andar de bicicleta na calçada é extremamente incômodo para os pedestres. Mas não se compara ao perigo gerado pelos veículos motorizados. Além disso é cada vez maior o número de ciclistas que tem consciência de que não se deve pedalar na calçada.

7) As nossas ruas são muito estreitas para receber bicicletas

Em termos práticos, não existe qualquer rua – estreita ou larga – que não possa ser transformada numa via segura para o trânsito de bicicleta. Para criar um espaço para ciclovia, uma rua muito estreita pode ser transformada em uma via de sentido único para tráfego motorizado, ou o estacionamento pode ser reduzido.

8) Ciclistas deveriam andar encostados à direita, e não no meio da estrada

Ninguém quer andar de bicicleta na frente de veículos motorizados. Contudo, ruas mal projetadas frequentemente fazem com que essa seja a posição mais segura. Isso acontece, por exemplo, nas ruas estreitas com carros estacionados, onde é perigoso ser atingido por um motorista que abre a porta sem olhar no retrovisor.

9) As pessoas deviam usar capacete quando andam de bicicleta

Sim. Embora o Código de Trânsito não determine o uso do capacete como obrigatório, o respeito ao ciclista no trânsito ainda está longe do ideal no Brasil. Por isso é sempre recomendado usar todos os equipamentos de segurança possíveis.

10) As pessoas não conseguem ir muito longe de bicicleta

Evidentemente que não é prático fazer todas as viagens de bicicleta. Mas muitas das que atualmente são realizadas por outros modos podem – com a infraestrutura certa – ser realizadas facilmente de bicicleta. Percursos de longa distância entre cidades são realizados de bicicleta com frequência em países europeus.

11) As pessoas não usam a infraestrutura ciclável existente

Isto pode ser verdade – existem ciclovias de má qualidade, que nem sempre asseguram deslocações seguras, simples, e descomplicadas. Por isso pode acontecer de ciclistas optarem pela faixa de tráfego motorizado porque a sua deslocação seria mais lenta e mais difícil do que simplesmente seguir pela pista.

12) É muito caro construir uma estrutura cicloviária

Uma boa infraestrutura custa dinheiro, mas é uma incorreção dizer que seja uma grande quantidade em comparação com a despesa realizada no setor dos transportes em geral. Ou que ofereça pouco retorno sobre o investimento. Os Países Baixos gastam milhões por ano em infraestrutura ciclável, e considerando apenas os benefícios para a saúde o retorno é de 60:1 sobre o investimento.

13) O tempo na minha cidade não ajuda

Se estiver muito frio, chuvoso, ou quente para andar de bicicleta, então está muito frio, chuvoso, ou frio para sair à rua em qualquer caso. Quando as ruas são bem projetadas, andar de bicicleta não apresenta mais dependência do clima do que andar a pé.

14) Os ciclistas não respeitam as regras

Muita atenção é dedicada aos ciclistas que não param nos sinais. Mas a verdade é que, independente do modo de transporte usado, há sempre pessoas que desrespeitam as regras de trânsito. A probabilidade não é maior por andar de bicicleta do que por dirigir ou andar a pé.

15) As ciclovias prejudicam o comércio

Infraestrutura cicloviária e áreas sem carros não restringem o acesso às lojas. Muito pelo contrário, tornam as ruas com lojas locais mais agradáveis para visitar, aumentando fregueses e a procura em geral.

16) Pessoas com necessidades especiais não andam de bicicleta

Em geral a infraestrutura cicloviária anda de mãos dadas com outras melhorias no ambiente físico – como, por exemplo, passeios com piso liso e rampas ao longo das ruas. Além disso, existem bicicletas adaptadas para todos os tipos de necessidade especial, funcionando como uma opção de mobilidade para pessoas com dificuldades de locomoção.

17) Precisamos de mais carros elétricos

Uma mudança de carros a petróleo para carros elétricos deverá mitigar o problema da poluição atmosférica nas áreas urbanas. Contudo, o carro elétrico não resolve muitos dos outros problemas associados aos veículos motorizados – congestionamento, perigo, saúde pública, ocupação territorial necessária para estacionamento, e estradas e ruas assoladas pelo tráfego motorizado.

18) Sou muito velho para andar de bicicleta

Nos países onde é abrangente a infraestrutura para andar de bicicleta separado de outros modos de transporte, pessoas de todas as idades e habilidades andam de bicicleta. Por exemplo, quase um quarto de todas as deslocações feitas por holandeses acima dos 65 anos são em bicicleta.

De fato a verdade é o oposto do mito. Andar de bicicleta dá mais opções de transporte e mais independência a pessoas aparentemente menos habilitadas.

Também poderá se interessar..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com