Mitos do ciclismo: 7 conselhos que é melhor não seguir

mitos do ciclismo dicas

Não importa se você já é um biker experiente ou se está apenas começando no pedal: sempre vai ter alguém com alguns conselhos sobre bicicletas para dar. E o pior é que na maioria das vezes eles não fazem o menor sentido.

Por isso, o pessoal do blog da Red Bull reuniu alguns dos principais mitos do ciclismo de estrada e que servem para muitas outras modalidades que também priorizam a velocidade. Confira a lista e o porquê é melhor não seguir certos conselhos.

7 mitos do ciclismo para ignorar

1) Você deve encher os pneus o máximo possível

Antigamente utilizava-se os pneus mais estreitos que fosse possível encontrar e aí eles eram inflados ao máximo. Pois acreditava-se que isso diminuía a resistência ao rolamento.

Entretanto, hoje sabe-se que, ao menos que o terreno seja incrivelmente liso, como a pista de um velódromo, por exemplo, é melhor usar pneus mais largos e com menos pressão. Um bom ponto de partida é 28 a 95 psi.

Pneus mais largos ajudam a absorver os impactos da estrada, diminuindo a resistência ao atrito. Eles também proporcionam mais conforto e reduzem a possibilidade de furos.

2) Você precisa comer muitos carboidratos na véspera de uma grande corrida

Encher a barriga de meio quilo de macarrão na noite anterior fará com que você se sinta abastecido, agora se esse é o melhor combustível já é uma outra questão dentro dos mitos do ciclismo.

carboidrato ciclistas

Se você ingerir grandes quantidades de carboidratos, poderá se sentir muito inchado no dia seguinte, porque o corpo não teve tempo de processá-los.

Ao invés disso, opte por um jantar generoso mas com alimentos balanceados.  Dessa forma, você se sentirá mais leve no dia seguinte.

3) Você não deve usar luvas no inverno

Os mitos do ciclismo são muito fundamentados em superar as forças da natureza, e um dos maiores deles diz que pedalar sem luvas no inverno ajuda a aumentar a resistência ao frio.

Bem, obviamente isso é um absurdo total. Claro que isso é pura bobagem. Se você quiser continuar sentindo suas mãos ao pedalar, é melhor usar luvas de ciclismo de qualidade.

4) Você precisa baixar a mesa do guidão

Há quem procure baixar a mesa (ou o avanço) do guidão ao máximo, tal qual os ciclistas profissionais. Mas a realidade é que a maioria de nós não é um ciclista profissional que treinam sem parar para fortalecer a área do tronco e melhorar a flexibilidade, que é o que permite manter uma posição tão extrema.

Além disso, essa posição extrema pode colocar muita pressão em áreas sensíveis da sua anatomia. Procure uma posição mais ereta, você vai se sentir mais feliz e confortável.

5) Pedale com marchas pesadas para aumentar a força das pernas

Embora exista alguma verdade no uso de marchas mais pesadas para ajudar a construir a força das pernas, é um método de treinamento que é melhor ser usado com moderação.

mitos do ciclismo quais são

A menos que você seja um velocista de pista, o ciclismo é predominantemente um esporte aeróbico, então a força necessária para as pernas é relativamente pequena. Além do mais, cargas de treinamento pesadas exigem uma força muitas vezes desnecessária do seu joelho, o que pode levar a uma lesão.

Então, se você está planejando otimizar sua performance e velocidade na bike, comece devagar e use as marchas pesadas com moderação.

6) Você deve manter o mesmo ritmo de treino no inverno

Se você passar o inverno pedalando no mesmo ritmo, quando a alta temporada começar você provavelmente não terá velocidade.

Atualmente, a maioria dos ciclistas passa por treinamento intensivo durante o inverno, mas isso significa pequenos períodos de intensidade, como uma rajada no treino do final de semana. O essencial é não exagerar e apenas buscar manter a constância de pedaladas no inverno. Assim você estará pronto para quando a alta temporada começar.

7) Pedivelas mais longas são melhores

Costumava-se pensar que pedivelas longas eram melhores, pois uma alavanca mais longa permitiria que você colocasse mais energia. No entanto, enquanto pedivelas mais longas permitem que você coloque mais força através dos pedais, seus pés acabam tendo ainda mais para viajar no curso do pedal.

Isso significa que o efeito real em sua saída de energia é quase zero, você simplesmente coloca a mesma potência em uma cadência ligeiramente menor. Então, a menos que você seja particularmente alto, não se preocupe com pedivelas mais longas. Tamanhos entre 165 mm e 175 mm funcionam bem para a maioria das pessoas.


* Confira também aqui no blog o post Alongamento para Ciclistas: 6 exercícios para prevenir dores e lesões.

Também poderá se interessar..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *